MEG 21: mudanças e benefícios

Home/Artigos/MEG 21: mudanças e benefícios

MEG 21: mudanças e benefícios

Após 25 edições, o Modelo de Excelência utilizado pela FNQ e norteador dos modelos estaduais, passou por mudanças muito importantes de modo a facilitar o seu entendimento e a sua implementação em toda as organizações, independente do porte ou segmento que atuem.

O PGQP, em seu processo de ressignificação, PGQP 25+, também está alinhando sua metodologia com uma nova abordagem de interação com as organizações para apoiá-las em seus desafios com maior proximidade e colaboração no desenvolvimento, implantação e gestão dos seus projetos e planos, utilizando o MEG 21 como Guia de Referência da Gestão para a Excelência.

Com este intuito, é fundamental que as organizações compreendam a essência do MEG 21 e as mudanças promovidas para identificar os níveis de maturidade da gestão das organizações, de forma a contribuir com seu aperfeiçoamento gerencial. Evoluímos do SAG, com 13 fundamentos, 8 critérios de excelência e um conjunto de itens e requisitos para um Tangram contendo 8 Fundamentos que se desdobram em 25 Temas, os quais são concretizados em 59 processos que são detalhados e apresentam um conjunto de ferramentas/metodologias para serem analisadas e selecionadas para uso pela empresa, conforme suas características e perfil.

Com esta mudança, há uma maior concentração em aspectos que permeiam o sistema de gestão organizacional, com ênfase nos 5 macroprocessos estruturantes que são: Gestão das Partes Interessadas, Gestão Estratégica, Gestão da Cadeia de Valor, Análise Crítica Estratégica e Operacional, integrados e sistematicamente aperfeiçoados no Sistema de Aprendizado e Inovação, tendo como pano de fundo a Cultura Organizacional. Ou seja, temos um modelo adaptável, flexível e que pode ser facilmente implementado pelas organizações em alinhamento ao seu nível de maturidade, seu perfil, seu momento estratégico e contexto mercadológico.

O MEG 21 é o modelo utilizado pelo PGQP para executar o seu propósito de “inspirar pessoas e organizações a transformarem seus mercados por meio da inovação e gestão”.

Os principais benefícios do MEG 21 são o entendimento das organizações sobre a essência dos requisitos fundamentais para alcançar a excelência do desempenho e a consequente melhora na competitividade. Além disto, oportuniza a troca de informações sobre métodos e sistemas de gestão que alcançaram sucesso estimulando a reflexão e aperfeiçoamento contínuo dos processos organizacionais.

Outro benefício relevante é a utilização do método PDCL para avaliar os processos, aprimorando o desenvolvimento do raciocínio lógico, sistêmico e integrado que permite o fácil entendimento das interdependências entre departamentos em prol de resultados sustentáveis para todas as partes interessadas.

Se você ainda não analisou com profundidade o MEG 21, informe-se com o PGQP sobre cursos abertos ou In Company, para saber mais sobre os fundamentos Liderança Transformadora, Pensamento Sistêmico, Desenvolvimento Sustentável, Adaptabilidade, Compromisso com as Partes Interessadas, Orientação por Processos, Geração de Valor e Aprendizado Organizacional e Inovação. São estes fundamentos que você precisa compreender com profundidade para definir a forma mais adequada para implementação na sua organização.

 

Autora:

Ana Giovanoni – CEO e consultora em Desenvolvimento Organizacional do Grupo Giovanoni, Certificada CMC pelo ICMCI, avaliadora Melhores em Gestão, ciclo 2017 da FNQ, membro do Núcleo Saúde-FNQ e instrutora do PGQP e terei muito prazer em compartilhar com você mais informações sobre o MEG 21.

E-mail: ana@grupogiovanoni.com            Site: www.grupogiovanoni.com

2018-02-22T11:37:11+00:00 22 / fev / 2018|Artigos|