As pedras grandes no balde.

Home/Destaque/As pedras grandes no balde.

As pedras grandes no balde.

É preciso ter muita disciplina para abrir um espaço para o tempo de afiar nossas ferramentas e preservar a nossa empregabilidade.

Aprendemos lendo Stephen Covey – os 7 hábitos das pessoas muito eficazes – o enorme significado do IMPORTANTE NÃO URGENTE.

Ele classificou nossas tarefas (e pensamentos) em quatro quadrantes, de acordo com sua importância e urgência.

No quadrante 1 temos o não importante, não urgente. No 4, o muito importante e muito urgente.

O mundo nos empurra para fazer o urgente. Os quadrantes 3 e 4 nos chamam a todo momento.

A grande lacuna está no quadrante 2, o do importante não urgente. Mesmo que sejam muito importantes, ações não urgentes tendem a não ser realizadas.

E Covey se preocupou em nos mostrar o enorme potencial que se esconde no segundo quadrante, o do importante-não-urgente.

Ele dizia que temos tempo para produzir (P) e tempo para aumentar a nossa capacidade de produção (CP). E contava a história de um homem tinha uma galinha que botava ovos de ouro. Mas era apenas um por semana. Até que, impaciente, resolveu matá-la, para ter logo todos os ovos. Não aumentar nossa CP significa matar nossa galinha dos ovos de ouro.

Leia na íntegra, clicando aqui

Autor: Claus Süffert

Em Novembro de 1996, Claus Süffert plantou uma semente chamada Quality Inn, germinada pela sua experiência profissional em empresas de grande porte, como os 5 anos em que trabalhou na Petrobrás e a sua carreira de 25 anos no Grupo Gerdau. Foi durante esse período na Gerdau que teve seu primeiro contato com os conceitos de Gestão da Qualidade Total, método que futuramente serviria de base para a sua própria empresa.

2018-01-29T09:31:25+00:00 29 / jan / 2018|Destaque|