Indicadores, poucos são os que realmente importam.

Home/Destaque/Indicadores, poucos são os que realmente importam.

Indicadores, poucos são os que realmente importam.

Logo que, no início dos anos noventa, aprendemos a importância de medir resultados, caímos na armadilha da qual pouca gente escapou: passamos a medir demais.

A informática propiciando dados – cada vez mais detalhados e atuais – ajudou muito nesta tendência.

Num hospital, numa área de informática, numa cadeia de restaurantes e em muitas outras organizações encontramos livros com números atualizados cada mês… e aprendemos a desafiar as pessoas a colocar, numa só folha A4, o que fazia a diferença.

O pulo do gato está em medir, de forma consistente, o que é

  • importante
    e é (ou pode vir a ser)
  • problema.

Parece óbvio: se algo é importante, mas não é problema… Ou é problema, mas não é importante…

Deve ser perda de tempo ficar medindo e registrando os resultados…

Por outro lado, quem procura pode descobrir indicadores ditos preciosos. Que uma vez identificados e mantidos sob observação, mudam por completo o desempenho de uma operação.

Vamos lembrar alguns casos:

 

Continue lendo, aqui.

 

Autor: Claus Süffert

Em Novembro de 1996, Claus Süffert plantou uma semente chamada Quality Inn, germinada pela sua experiência profissional em empresas de grande porte, como os 5 anos em que trabalhou na Petrobrás e a sua carreira de 25 anos no Grupo Gerdau. Foi durante esse período na Gerdau que teve seu primeiro contato com os conceitos de Gestão da Qualidade Total, método que futuramente serviria de base para a sua própria empresa.

2018-01-10T14:43:29+00:00 8 / jan / 2018|Destaque|