Gerenciamento de Projetos – Da intenção à aplicação

Home/Artigos/Gerenciamento de Projetos – Da intenção à aplicação

Gerenciamento de Projetos – Da intenção à aplicação

Trabalhar com gerenciamento de projetos dentro das organizações, é uma tarefa fácil?

As respostas serão variadas dependendo do nível de maturidade dos gestores com relação ao assunto. Porém, vale reforçar que será um grande desafio se a iniciativa partir de profissionais de base e não do(s) gestor(e)s ligado(s) ao comando da organização, pois estarão expostos ao risco de infortúnio.

A intenção isolada não será suficiente, caso o comando da organização, tiver dificuldade de entendimento sobre os ganhos na utilização do método para gerenciar as etapas envolvidas em projetos de baixa, media ou de alta complexidade.

Por vezes o desconhecimento sobre trabalhar por projeto, leva a crenças de engessamento ou mesmo de burocratização das atividades, o que é sem dúvida uma perda de oportunidade….

A utilização de projetos para a ordenação e controle das demandas onde, há um prazo definido de conclusão; existe dependência entre as etapas e equipes envolvidas; há recursos a considerar; stakeholders a envolver, sem dúvida é a escolha certa a ser feita.

Trabalhar organizadamente demanda disciplina, porém trabalhar de forma desordenada, sem a manutenção de registros históricos de ocorrências, sem apontamentos dos aprendizados gerados, sem dúvida é um desperdício de oportunidade de geração de um banco de conhecimentos interno, que proporcionará o aprendizado constante. Sem esquecer que o custo da não qualidade e do retrabalho, podem gerar desperdícios significativos de recursos importantes para a empresa.

Os projetos tem seu término definido no momento da concepção. A finalidade é a de resolver problemas de forma organizada, portanto se encerram assim que o problema deixar de existir. O sucesso de um projeto está intimamente ligado à clareza empenhada no momento da definição do problema, assim como na definição dos objetivos.

As etapas seguintes tem seu grau de importância, porém estarão comprometidas se a definição do escopo estiver deficiente. Pense nisso e você estará apto a seguir com as próximas leituras sobre o tema.

Próximas abordagens:

Etapas envolvidas na definição de um projeto.

É possível fazer gerenciamento de projetos sem ser um PMP?

Jussara Canabarro

Presidente Comitê Regional Bento Gonçalves.

2017-09-14T15:23:13+00:00 14 / set / 2017|Artigos|